Sobrapar faz 40 anos e livro conta trabalho de décadas recuperando faces

Em comemoração aos 40 anos da entidade, o Hospital Sobrapar lançou na noite de quinta-feira, 5 de dezembro, o livro “A Face da Esperança”. O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, e a primeira-dama, Sandra Ciocci, prestigiaram o evento. O livro conta a história da instituição hospitalar que promove tratamento e reabilitação de pacientes com anomalias crânio-maxilo-faciais.

 

 

“A Sobrapar tem uma imagem acolhedora. Quando eu visito localidades no Brasil e menciono Campinas, ouço: lá tem a Sobrapar. É muito interessante quando uma entidade espelha a imagem da cidade, quando a pessoa guarda com carinho o momento que esteve na Sobrapar e o o afeto que ela recebeu. Em nome do povo de Campinas, eu quero te dizer: Sobrapar, muito obrigada. Parabéns pelos 40 anos e por tudo que vocês têm foi feito, e que Deus continue abençoando esse trabalho”, disse Jonas, que também é presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) e, nesse trabalho, percorre vários municípios.


 

 

O prefeito lembrou, em seu discurso, o trabalho idealizado e criado pelo cirurgião plástico Cássio Menezes Raposo do Amaral, e que hoje tem à frente a sua viúva, a presidente do Hospital Sobrapar, Dra. Vera Raposo do Amaral, e seus filhos, Cássio Eduardo A. Raposo do Amaral, atual vice-presidente, e César Augusto Raposo do Amaral.

 

 

Vera Raposo do Amaral disse que ‘só uma mãe que teve um filho que nasceu com uma anomalia crânio facial pode saber o que é ter a esperança de ele ter uma face normal”. “Esse livro não poderia ter outro título: a face da esperança é a face deste hospital, é a face de 40 anos do que aqui se faz”.

 

 

Mais do que resgatar a história do hospital, o livro mostra os alicerces da instituição. Em 88 páginas, o fotógrafo Giancarlo Giannelli traz o registro do dia a dia de colaboradores e pacientes. A edição está à venda no Hospital, e os pedidos podem ser feitos pelo e-mail [email protected]

 

 

 

SUS

 

 

O Hospital Sobrapar foi fundado em 1979. Atende pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), em situação de vulnerabilidade socioeconômica, de todo o país. Une assistência, ensino e pesquisa.

 

 

Em 2018, o hospital realizou 1,2 mil cirurgias e mais de 39,1 mil atendimentos. Mais de 60% dos recursos provêm de doações de pessoas físicas e jurídicas.