Permissionários do Mercadão conhecem detalhes do BRT em reunião na Câmara

Os permissionários do Mercado Municipal conheceram os detalhes do projeto de implantação dos corredores BRT (Bus Rapid Transit, Ônibus de Trânsito Rápido) no município – Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral. Também receberam informações sobre as obras do futuro Terminal BRT Mercado, que começaram nesta semana.

 

A reunião, conduzida pelo vereador Marcos Bernardelli, foi realizada na quinta-feira, 22 de agosto, no Plenarinho da Câmara Municipal e também contou com a presença do secretário de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), Carlos José Barreiro, e do presidente da Serviços Técnicos Gerais (Setec), Arnaldo Salvetti Palacio Jr.


 

“Esse é o maior projeto de Mobilidade Urbana da história de Campinas e a maior obra pública em andamento no Brasil”, destacou Barreiro. O secretário de Transportes garantiu que não haverá desapropriações na região central, para a implantação do Corredor BRT Campo Grande. As obras do novo Terminal BRT Mercado também não irão interferir na circulação, no Mercadão.

 

Estudos realizados pela Emdec apontam que o novo terminal BRT na região irá ter a demanda inicial diária de 40 mil passageiros. Atualmente, os dois terminais Mercado existentes têm uma circulação diária média de 20 mil passageiros. “A região terá um complexo de passageiros bastante intenso, pois além do Terminal BRT Mercado, também há o Terminal Central, que irá receber o BRT, o Terminal Rodoviário e o Terminal Metropolitano. Todos interligados”, frisou o secretário de Transportes.

 

Barreiro também salientou a importância da obra, que transcende a Mobilidade Urbana. “Em todos os corredores que estão em construção, há uma completa revisão no sistema de drenagem. A rede elétrica é subterrânea. Os locais recebem paisagismo. Ou seja, uma completa revitalização e valorização das áreas”, afirmou.

 

Terminal BRT Mercado

 

Na última segunda-feira, dia 19 de agosto, as obras de implantação dos Corredores BRT avançaram para a região central. A Emdec interditou um trecho de cerca de 350 metros da Avenida João Penido Burnier para construção do novo Terminal BRT Mercado.

 

O trecho interditado fica entre a Rua Saldanha Marinho e o acesso à Avenida Senador Saraiva. O bloqueio não provoca grandes alterações na circulação, já que o trecho impactado não recebe alto tráfego de veículos. O local era utilizado para realização de uma feira comercial aos domingos.

 

A região recebe a execução do pavimento de concreto do corredor e das estações do novo Terminal Mercado, que irão compor o início do BRT Campo Grande. Este corredor passará pela Estação Rodoviária e pelo Viaduto Estaiado, seguindo pelo leito desativado do antigo VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), Avenida John Boyd Dunlop a partir da Vila Aurocan, chegando até o Terminal Itajaí.

 

BRT

 

O BRT campineiro contempla estações de transferência e infraestrutura adequada; veículos articulados; corredores exclusivos com espaços para ultrapassagens; embarque e desembarque pela esquerda (junto ao canteiro central das avenidas); embarque em nível; e pagamento desembarcado. O sistema será mais seguro, rápido, eficiente e confiável.

 

O BRT Campo Grande tem 17,9 km de extensão, saindo da região central, ao lado do Terminal Mercado, seguindo pelo leito desativado do antigo VLT, Avenida John Boyd Dunlop, passando pelo Terminal Campo Grande e chegando ao Terminal Itajaí.

 

O BRT Ouro Verde tem 14,6 km de extensão, saindo da região central, do Terminal Central, seguindo pelas avenidas João Jorge, Amoreiras, Ruy Rodriguez, passando pelo Terminal Ouro Verde, Camucim até o Terminal Vida Nova.

 

Entre os dois corredores há um corredor perimetral, chamado de BRT Perimetral, com 4,1 km de extensão, ligando a Vila Aurocan até o Campos Elíseos, seguindo pelo leito desativado do VLT.

 

Os três corredores BRT do município têm custo total de R$ 451,5 milhões. Serão 36,6 km de corredores, com previsão de entrega total para meados de 2020.