Campinas tem ações em prol do Dia Mundial da Segurança do Paciente

Diversos hospitais e unidades de saúde públicas e privadas de Campinas estão realizando ações para marcar o Dia Mundial da Segurança do Paciente, celebrado nesta terça-feira, dia 17 de setembro. A campanha foi criada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e preconiza que ninguém deve ser prejudicado nos cuidados de saúde.

 

Com o tema “Segurança do Paciente: uma prioridade global de saúde”, e o slogan “Falemos todos pela Segurança do Paciente”, a campanha incita pacientes e acompanhantes a envolverem-se ativamente em seus próprios cuidados, fornecendo informações precisas sobre seu histórico médico e se comunicando abertamente com sua equipe de assistência médica. O objetivo é que os pacientes estejam cientes sobre sua condição de saúde, tratamento e que possam fazer perguntas e tirar dúvidas. Os profissionais de saúde e de diversas categorias também são estimulados pela campanha a trabalhar junto com o paciente e criar uma cultura de segurança aberta e transparente.


 

Segundo a enfermeira Roberta Yabu-uti do Valle, articuladora do Programa Municipal de Segurança do Paciente, até recentemente os eventos adversos, os erros e os incidentes associados à assistência à saúde eram considerados inevitáveis ou reconhecidos como um ato realizado por profissionais mal treinados. “Esses danos podem ser incapacitantes, com sequelas permanentes, além de levar ao aumento do custo e da permanência hospitalar e, até mesmo, resultar em morte prematura como consequência direta das práticas em saúde inseguras. O foco no processo, com instituição de barreiras de segurança contribui para a prevenção de incidentes, antes considerados inevitáveis”.

 

Roberta ressalta que hoje o movimento para a segurança do paciente substitui “a culpa e a vergonha” por uma nova abordagem, a de “repensar os processos assistenciais”, com o intuito de antecipar a ocorrência dos erros antes que causem danos aos pacientes em serviços de saúde. “Assim, já que o erro é uma condição humana, deve-se tirar o maior proveito desta condição, sempre conhecendo, aprendendo e prevenindo erros nos serviços de saúde. Entretanto, os profissionais de saúde respondem aos Conselhos pelos atos de negligência, imperícia e imprudência, o que também tem um papel importante na criação de uma cultura de responsabilidade”, afirma.

 

O dia 17 de setembro foi estabelecido como o Dia Mundial da Segurança do Paciente na 72ª Assembleia Mundial da Saúde, em maio de 2019, que reuniu 194 países que reconheceram a segurança do paciente como uma prioridade de saúde global. A partir deste ano, a OMS sempre ressaltará a Segurança do Paciente para aumentar a conscientização e engajamento do público; melhorar a compreensão global e estimular a solidariedade e a ação global.

 

Atividades em Campinas

 

Além das ações de segurança do paciente realizadas na rotina das unidades de saúde da rede municipal, a Secretaria Municipal de Saúde também está preparando atividades educativas voltadas para os profissionais de saúde e para pacientes. Na Rede Mário Gatti, as Unidades de Pronto Atendimento farão iniciativas locais e os dois hospitais – Mário Gatti e Ouro Verde – também têm uma programação.

 

O Hospital Municipal Dr. Mário Gatti (HMMG), vem mantendo ações voltadas à promoção da Cultura de Segurança do Paciente, tradicionalmente no mês de abril, seguindo a agenda proposta pelo Ministério da Saúde. Após a criação do Dia Mundial da Segurança do Paciente pela OMS, em maio deste ano, houve um trabalho intenso dos membros do Núcleo de Segurança do Paciente (NSP), para que pudessem incluir o hospital neste movimento global.

 

De acordo com a médica Fernanda Rodrigues de Almeida Fossa, coordenadora do NSP do HMMG, na manhã desta terça-feira, 17 de setembro, foi iniciada mais uma campanha para a conscientização sobre este tema. Além de se vestirem com a cor laranja (cor oficial escolhida pela OMS), cartazes e faixas foram afixados em locais estratégicos da instituição.

 

Adesivos com a mensagem “Valorize a Segurança do Paciente” serão distribuídos para todos os colaboradores ao longo desta semana, estimulando a reflexão e o engajamento de todos sobre as boas práticas de segurança já empregadas. “Nossa ideia é que as pessoas possam falar pela segurança do paciente e que identifiquem as ações que já praticam rotineiramente, reconhecendo como uma prática segura, como por exemplo, a correta identificação do paciente e a comunicação efetiva entre os profissionais de saúde. Falhas de comunicação são citadas em cerca de 70% das causas-raiz dos eventos adversos relacionados ao cuidado em saúde.”.

 

Segundo ela, é importante relembrar que o check-list de cirurgia segura faz parte dos protocolos de segurança do paciente, e até mesmo uma ação aparentemente simples, como lavar as mãos corretamente, seguindo técnicas adequadas, faz parte dessas boas práticas.

 

Hospital Ouro Verde

 

Já no Hospital Ouro Verde, as ações tiveram início nesta terça-feira, 17, com a abertura da Semana de Segurança do Paciente. Até o dia 26 de setembro, serão trabalhados diversos temas, inclusive com a confecção dos Elos de Comunicação Efetiva, uma iniciativa local. No dia 26, os profissionais terão uma série de palestras com coordenadores, diretores e profissionais da área de qualidade e Segurança.

 

Hospital de Clínicas e Caism

 

O Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp também iluminou todas as entradas do hospital nesta terça-feira com a cor laranja. Todos os colaboradores receberam fitas de cor laranja e foram convidados a trabalhar de blusa laranja. Além disso, foram fixados banners da campanha dentro da unidade. Colaboradores, responsáveis pelos times de segurança da unidade e a alta gestão do hospital também posaram para fotos com cartazes da campanha da OMS.

 

O Hospital da Mulher (Caism) da Unicamp também preparou uma série de ações como incentivo aos colaboradores para que fossem trabalhar com roupas na cor laranja e quadro para registro de mensagens por colaboradores, alunos e pacientes. Foram realizadas atividades educativas na área de Neonatologia e palestra sobre segurança do paciente com um docente da Universidade.

 

Rede particular

 

A Casa de Saúde de Campinas realizou do dia 9 de setembro a 13 de setembro treinamentos de protocolo de segurança medicamentosa voltado aos funcionários. No dia 16 de setembro, também foi realizada uma roda de notificação, com dinâmica em diversos setores. Já nesta terça-feira, dia 17 de setembro, o hospital está promovendo ações in loco realizadas pelos membros do Núcleo de Segurança do Paciente, com abordagens aos profissionais, pacientes e familiares com folhetos orientativos de ações preventivas de Segurança do Paciente. No dia 18 de setembro, também haverá a “mesa-redonda da Sepse” voltada a funcionários. A partir do dia 20 de setembro, também será exibido um mural no hospital com as fotos das ações de segurança do paciente.

 

Nesta terça-feira, dia 17, o Hospital Vera Cruz também está promovendo diversas ações, como mobilização dos colaboradores em dinâmicas divulgando o tema, distribuição de bolo de cenoura e premiações. O setor de Qualidade, junto com a comissão de gerenciamento de risco e os representantes dos protocolos de segurança da instituição também irão vestir camisetas da cor laranja com as hashtags divulgadas (#FalePelaSegurançaDoPaciente e #SegurançaDoPaciente). O prédio da unidade também será iluminado de laranja.

 

A Unimed também promove ações para marcar a data como divulgação de banners sobre Segurança do Paciente na recepção de todos os serviços próprios e no Centro de Promoção à Saúde da Unimed. Os funcionários receberão fitas de cetim de laço na cor laranja para colocação no crachá. Também foram distribuídas barrinhas de cereal com a tag alusiva ao Dia Mundial de Segurança do Paciente. A Unimed também iluminou de laranja a sede da cooperativa, na Avenida Brasil, o Centro de Quimioterapia Ambulatorial, no Jardim Guanabara, e o Hospital Unimed Campinas na Vila Industrial.

 

O Hospital e Instituto Penido Burnier também promoveu uma palestra sobre medidas de prevenção de Endoftalmites e “Síndrome tóxica do segmento anterior, relacionadas a procedimentos oftalmológicos invasivos”. O Hospital PUC-Campinas, por sua vez, também realizou atividades em prol do Dia Mundial da Sepse e está fazendo divulgação interna para os colaboradores. No final de outubro fará um novo evento sobre Segurança do Paciente voltado para os funcionários.